Incoterms 2020, Incoterms2020, ICC, International Chamber of Commerce

A Câmara de Comércio Internacional Lançou os Incoterms 2020

Já foram lançados os Incoterms 2020! Como já referimos anteriormente, os novos termos internacionais para o comércio entram em vigor no dia 1 de janeiro de 2020.

Os Incoterms são fundamentais para o comércio externo, uma vez que disponibilizam um conjunto de termos de contrato para fretes internacionais. Com esta nova edição a ICC – International Chamber of Commerce (Câmara de Comércio Internacional) ambiciona aumentar a confiança e a transparência dos negócios e comércio global.

O principal propósito dos Incoterms é, como sempre foi desde a sua primeira versão de 1936, o de simplificar processos de comunicação. Neste seguimento apresenta termos de negociações internacionais. Os novos Incoterms pretendem ser mais acessíveis e fáceis de usar do que as suas versões anteriores. Para isso incluem explicações mais detalhadas, auxiliadas e reforçadas com gráficos que ilustram as responsabilidades de importadores e exportadores, para cada regra dos Incoterms. Logo na introdução dos Incoterms 2020 são incluídas explicações detalhadas que ajudam a direcionar para o Incoterm mais adequado para determinada transação, ou como será a interação entre contrato de venda e contratos complementares.

.

Algumas das principais características dos Incoterms 2020:

  • Procuram encontrar soluções a reconhecidas carências do mercado, no que concerne à relação entre Bills of Lading (B/L) com registo de bordo e o Incoterm Free Carrier (FCA);
  • Alinham diferentes níveis de cobertura de seguro nos termos Cost Insurance and Freight (CIF) e Carriage and Insurance Paid To (CIP);
  • Incluem a possibilidade de efetuar transporte com meios próprios nos Incoterms Free Carrier (FCA); Delivered at Place (DAP); Delivered at Place Unloaded (DPU); e Delivered Duty Paid (DDP);
  • Mudança na terminologia de Delivered at Terminal (DAT) para Delivered na Place Unloaded (DPU);
  • Os Incoterms 2020 incluem requisitos de segurança nas obrigações e nos custos do transporte…

.

Em linha com o compromisso de desenvolver tecnologia disponível para toda gente, o acesso à informação essencial constante nos Incoterms 2020 está disponível numa Aplicação Móvel lançada pela ICC. Essa aplicação inclui uma grande variedade de elementos informativos, incluindo últimas noticias, eventos e formações.

Saiba mais acerca dos Incoterms 2020.

Pode adquirir os novos Incoterms 2020, segundo as condições da ICC, AQUI.

Incoterms 2020, Incoterms2020, ICC, International Chamber of Commerce

Estão a chegar os Novos Incoterms 2020

A Câmara de Comércio Internacional (International Chamber of Commerce – ICC) está a trabalhar para publicar os novos Incoterms 2020 ainda durante este mês de setembro, para entrarem em vigor no início do próximo ano. Segundo a ICC, esta publicação incluirá uma atualização nos regulamentos que definem a responsabilidade dos compradores e vendedores que operam no comércio global.

Acerca dos Incoterms

Incoterms é o acrónimo de “International Commerce Terms” – Termos para o Comércio Internacional. Os Incoterms foram concebidos pela ICC em 1936, por forma a evitar falhas de comunicação que abundavam no comércio internacional. Na altura nasceram sob a designação “International Rules for the Interpretation of Trade Terms”.

A introdução de regras e interpretações estandardizadas melhorou sobremaneira as transações comerciais internacionais. Daí em diante estas regras foram se ajustando e evoluindo em consonância com o comércio internacional.

Alterações Expectáveis nos Incoterms 2020

Os Incoterms em vigor (que pode encontrar aqui) são de 2010. Com as alterações sentidas no comércio mundial, torna-se premente o ajustamento à nova realidade. Nesse sentido, e para que esses ajustes estejam alinhados com as necessidades de facto sentidas, a Câmara de Comércio Internacional juntou um grupo de desenvolvimento, constituído por 5 elementos que representam as principais zonas comerciais mundiais – União Europeia, Estados Unidos da América, Austrália e China.

Este grupo de trabalho tem como plano de ação a simplificação das regras assim como a adequação à realidade atual. Com isto pretende-se um texto mais claro, sem informação supérflua ou confusa. Este grupo deve ter igualmente em consideração que o Inglês não será a língua nativa para muitos dos utilizadores dos Incoterms.

Há, no entanto, aspetos como IVA, Uniões Aduaneiras ou VGM, nos quais não se esperam alterações. Isto deve-se ao facto de nesta atualização se procurar a estandardização das regras globais, deixando de lado questões locais, de características intrinsecamente distintas.

Entre as mudanças esperadas nos Incoterms, estão:

  • A eliminação de EXW (Ex Works), DDP (Delivered Duty Paid) e FAS (Free Alongside Ship);
  • O alargamento da abrangência do FCA (Free Carrier Arrangement);
  • Atualizações no FOB (Free on Board) e CIF (Cost, Insurance & Freight);
  • Surgimento do CNI (Cost and Insurance).

A segurança cibernética será também um fator e ter em consideração nos novos Incoterms. Nos últimos anos, com o aumento ao recurso a estes sistemas, também se tem assistido a um aumento crescente de ataques informáticos, que envolvem eliminação, roubo ou corrupção de dados, assim como o roubo de informação financeira. É portanto expectável, a criação de um Incoterm que proteja destes novos perigos. Além disso, espera-se um trabalho de esclarecimento junto das empresas presentes no comercio internacional por forma a que fiquem mais conscientes e atentas aos potenciais perigos que possam daí advir, ajudando-as a tomar precauções.

Conclusão

O comércio internacional conheceu mudanças significativas na última década, a realidade presente é diferente da de 2010. Nesse sentido a ICC, baseado no conhecimento acumulado ao longo desta década, juntou uma equipa que junta elementos dos mais importantes mercados mundiais, para atualizar os novos Termos para o Comércio Mundial – Incoterms. Com isto espera-se:

  • Esclarecimento e atribuição de riscos e responsabilidades;
  • Acondicionamento, marcação e inspeção dos produtos;
  • Certificado de Segurança;
  • Responsabilidade dos Intervenientes

Os novos Incoterms 2020 serão lançados ainda este mês, para entrar em vigor dia 1 de janeiro de 2020.

Para saber mais acerca das regras dos novos Incoterms 2020, consulte a página da Câmara de Comércio Internacional.

A Green Ibérica estará atenta a este assunto e, assim que surjam novidades, iremos partilhá-las com os nossos clientes.

Qatar Airways Cargo, Aircargo, Airfreight

Qatar Airways Cargo: Dois Meses em Lisboa

Fez, no passado sábado, dia 24 de agosto, dois meses que começaram os voos regulares da Qatar Airways Cargo em Portugal.

Depois de um período inicial que não dispensou uma essencial e natural adaptação, podemos dizer que estamos muito felizes por ter cá uma das maiores e melhores companhias aéreas a nível mundial, e que é um orgulho enorme para a Green Ibérica, sermos os escolhidos para seu representante.

Trabalhar com uma companhia com esta envergadura e experiência, continua a ser um desafio que nos dá um enorme prazer. E podemos dizer que tem sido um sucesso. É certo que nenhum percurso que valha a pena é desprovido de obstáculos e imprevistos, no entanto são estes que dão mais sabor à vitória!

Contamos continuar com esta parceria de sucesso por muitos e bons anos. E contamos consolidar o mercado português na rede de aeroportos servidos pela Qatar Airways.

Qatar Airways em Portugal

Começaram, no dia 24 de junho, os voos diários da Qatar Airways em Lisboa! ✈️✈️✈️Veja no vídeo, o batismo do voo no aeroporto da capital portuguesa.A Green Ibérica é o representante exclusivo da Qatar Airways Cargo em Portugal! 🔝

Publicado por GREEN Iberica em Segunda-feira, 24 de junho de 2019

Sobre a Qatar Airways Cargo

A Qatar Airways Cargo dedica-se em exclusivo ao transporte de carga aérea em todas as suas especificidades. Opera mais de 250 aeronaves. Destas 27 são cargueiros dedicados – incluindo o mais recente Boeing 747-800 Freighter – para mais de 160 destinos. Isto permite-lhes alcançar uma cobertura praticamente global.

Utilizando o Hub no NDIA-New DOHA International Airport, galardoado como o melhor aeroporto do médio-oriente e com o mais recente e sofisticado terminal de carga, possuem uma capacidade de operação impar na ligação das rotas Este/Oeste, efetuando a ligação entre os mercados da Europa, Médio Oriente, Extremo Oriente, Subcontinente Indiano, África e Austrália com transferes e tempos de trânsito reduzidos.

A Qatar Airways Cargo disponibiliza diversos serviços de transporte de carga, incluindo com dimensões fora de formato, para vários destinos, nomeadamente:

Em África: Acra (ACC), Juba (JIB), Entebbe (EBB), Joanesburgo (JNB), Khartoum (KRT) Lagos (LOS), Nairobi (NBO), Maputo (MPM) e Cidade do Cabo (CPT).

No Subcontinente Indiano e Médio Oriente – Ahmadabad (AMD), Bangalore (BLR), Chennai (MAA) Nova Deli (DEL), Hiderabad (HYD), Kolkata (CCU), Mumbai (BOM), Beirute (BEY) Colombo (CMB), Dhaka (DAC), Istambul (IST), Karachi (KHI), Kuwait (KWI), Lahore (LHE), Muscat (MCT) Doha (DOH), Sialkot (SKT) e Teerão (IKA).

No Extremo Oriente e Sudeste Asiático – Macau (MFM), Guangzhou (CAN), Hanói (HAN), Ho Chi Minh (SGN) Hong Kong (HKG), Phnom Penh (PNH), Seoul (ICN), Shanghai (PVG) e Yangon (RGN).

Para além dos voos operados a partir de DOHA, os hubs europeus de Amsterdão (AMS), Saragoça (ZAZ) Liége (LGG) e Luxemburgo (LUX) a Qatar Airways Cargo voa diariamente para o México (MEX) e E.U.A – Chicago (ORD), Atlanta (ATL), Houston (IAH), Nova Iorque (JFK), Miami (MIA), Dalas (DFW), Los Angeles (LAX) e Pittsburgh (PIT). A companhia dispõe ainda, de uma vasta rede de ligações rodoviárias sincronizadas.

Caso tenha interesse no envio de carga por via aérea, entre em contacto connosco!

Riscos da Declaracao incorreta de carga perigosa. evergreen line, green iberica

Riscos Relacionados com Declaração Incorreta de Carga Perigosa

A declaração incorreta de carga perigosa pode gerar um sério risco, não só a essa mesma carga, como também à saúde, à segurança, à propriedade. Isto porque, uma vez que não sendo corretamente manifestada, leva a que a mesma não seja devidamente manuseada e acondicionada.

Pelas características específicas – e de risco – que esta carga representa, está sujeita à aceitação por parte da linha. Quando aceite, serão feitas as indispensáveis adaptações específicas no booking.

A carga perigosa que não for agendada nem documentada como tal, será considerada carga perigosa não declarada. Nesse seguimento todos os custos, danos, multas e penalizações que possam dai advir serão da responsabilidade do mercador.

Por consequência, e com vista à segurança de todos os intervenientes, a EVERGREEN anunciou que vai avançar com multas para quem declarar cargas perigosas de forma incorreta. Assim, qualquer omissão, ocultação ou declaração incorreta de carga perigosa, vai resultar em penalizações a quem de direito.

Esta decisão está em linha com as medidas tomadas por outros armadores. E resulta de acidentes ocorridos cujas causas são atribuídas a declarações incorretas de cargas perigosas. Estas são aliás, segundo o Cargo Incident Notification System (CINS), as causas de aproximadamente 25% de todos os acidentes graves a bordo de navios porta-contentores.

Com esta medida a EVERGREEN pretende reduzir o risco que a declaração incorreta de carga perigosa representa para navios, cargas e pessoas.

Declaração Incorreta de Carga não Perigosa

Também as restantes cargas mal declaradas levarão à aplicação de taxas adicionais. Então, qualquer descrição ou declaração incorreta levará a uma responsabilização do mercador, que poderá incorrer em penalizações.

A Green Ibérica está aqui para ajudar na declaração correta de todas as cargas. Para mais informações, entre em contacto connosco.

Ever govern, Evergreen Ship, container vessel

O Ever Govern Juntou-se à EVERGREEN

O Ever Govern é o nono navio G-Class (20.000+ TEU) a integrar a frota da EVERGREEN. Depois da chegada do deste navio “megamax” ficam a faltar apenas dois desta classe, para que a entrega dos 11 encomendados em 2015, fique completa. Espera-se que o último chegue já no próximo mês de setembro.

Para já o Ever Govern juntou-se à OCEAN Alliance no loop ‘NEU6’ Asia – Europa (denominado de ‘CEM’ pela EVERGREEN).

 

Características do Ever Govern e dos Novos ULCV

Como já referimos no passado, estes gigantes com 400 metros fora a fora e com 59 metros de boca, vêm equipado com um motor é um MAN-B&W G95ME, com 11 cilindros, debitando cerca de 59.250 kW. Este motor permite-lhes atingir velocidades que podem chegar aos 21 nós.

 

Os Novos ULCV e o Ambiente

Ao contrário dos primeiros sete navios desta classe já entregues, o Ever Govern, assim como os restantes 3 navios que constituem os 11 encomendados, já vêm com um SOx scrubber instalado. Este “extra” significa uma perda de 144 TEU de capacidade (passando de 20.388 TEU para 20.244 TEU). Este é, no entanto, um investimento que visa o bem maior de preservação do meio ambiente. Com isto limita-se ao máximo as emissões poluentes para a atmosfera e, consequentemente, a nossa pegada ecológica.

 

Leia mais

Qatar Airways cargo, Airplane, Aircraft, Aircargo, Green Ibérica

A Qatar Airways Vai Ter Um Voo Diário Para Lisboa!

Como foi noticiado na semana passada, a representada da Green Ibérica, a Qatar Airways Cargo, vai ter voos diretos em Lisboa, a partir de dia 24 de junho. O anúncio foi tornado oficial na cerimónia de abertura da ITB Berlin, a maior feira de viagens e turismo, do mundo.

Na cerimónia, que ocorreu na passada quarta-feira, dia 6 de março, o CEO do grupo, o Sr. Akbar Al Baker, anunciou sete novos destinos da Linha Aérea, nos quais se encontra Lisboa e também: Malta; Rabat, Marrocos; Langkawi, Malásia; Davao, Filipinas; Izmir, Turquia; e Mogadíscio, Somália.

Esta aposta enquadra-se na política de franco crescimento que a rede global da Qatar tem vindo a conhecer, e deixa o CEO do grupo “tremendamente entusiasmado por adicionar, ainda este ano, sete novos destinos à nossa rede global de rotas, que está em rápida expansão”.

Pode encontrar a Press Release da companhia, AQUI.

O Avião que estará neste serviço será um Boeing 787 DreamLiner, como o que surge no vídeo abaixo.

.

Sobre a Qatar Airways Cargo

A Qatar Airways Cargo dedica-se em exclusivo ao transporte de carga aérea em todas as suas especificidades. Opera mais de 200 aeronaves, das quais 22 jkcargueiros dedicados – incluindo o mais recente Boeing 747-800 Freighter – para mais de 150 destinos, permitindo-lhes alcançar uma cobertura praticamente global.

Utilizando o Hub no NDIA-New DOHA International Airport, galardoado como o melhor aeroporto do médio-oriente e com o mais recente e sofisticado terminal de carga, possuem uma capacidade de operação impar na ligação das rotas Este/Oeste, efetuando a ligação entre os mercados da Europa, Médio Oriente, Extremo Oriente, Subcontinente Indiano, África e Austrália com transferes e tempos de trânsito reduzidos.

A Qatar Airways Cargo disponibiliza diversos serviços de transporte de carga, incluindo com dimensões fora de formato, para vários destinos, nomeadamente:

  • Em África – Acra (ACC), Juba (JIB), Entebbe (EBB), Joanesburgo (JNB), Khartoum (KRT), Lagos (LOS), Nairobi (NBO), Maputo (MPM) e Cidade do Cabo (CPT).
  • No Subcontinente Indiano e Médio Oriente – Ahmadabad (AMD), Bangalore (BLR), Chennai (MAA), Nova Deli (DEL), Hiderabad (HYD), Kolkata (CCU), Mumbai (BOM), Beirute (BEY), Colombo (CMB), Dhaka (DAC), Istambul (IST), Karachi (KHI), Kuwait (KWI), Lahore (LHE), Muscat (MCT), Doha (DOH), Sialkot (SKT) e Teerão (IKA).
  • No Extremo Oriente e Sudeste Asiático – Macau (MFM), Guangzhou (CAN), Hanói (HAN), Ho Chi Minh (SGN), Hong Kong (HKG), Phnom Penh (PNH), Seoul (ICN), Shanghai (PVG) e Yangon (RGN).

Para além dos voos operados a partir de DOHA, os hubs europeus de Amsterdão (AMS), Saragoça (ZAZ) Liége (LGG) e Luxemburgo (LUX) a Qatar Airways Cargo voa diariamente para o México (MEX) e E.U.A – Chicago (ORD), Atlanta (ATL), Houston (IAH), Nova Iorque (JFK), Miami (MIA), Dalas (DFW), Los Angeles (LAX) e Pittsburgh (PIT). A companhia dispõe ainda, de uma vasta rede de ligações rodoviárias sincronizadas.

comunicado Green Iberica

Comunicado: Entrega de Contentores no Terminal

A Green Ibérica informa todos os nossos clientes que, a partir do dia 01 de Janeiro de 2019, o tempo livre de estacionamento de contentores nos terminais foi reduzindo de 7 dias para somente 5. Com uma janela mais curta para receção dos contentores para embarque, e com vista a não honorar os clientes com custos adicionais de estacionamento, vemo-nos forçados a alterar o formato até à data adotado.

Assim, com efeito imediato, a receção de contentores pelo terminal estará sujeita a marcação prévia junto dos nossos serviços, por via do email: lsb.csdexp@greeniberica.pt.

Sem esta marcação, os contentores não vão constar nas listas de embarque e, consequentemente, não serão aceites pelo terminal.

Para mais informações, entre em contacto connosco.

O EVER GRADE Também Já Está ao Serviço da EVERGREEN

O Ever Grade chegou ao serviço da EVERGREEN no passado dia 15 de janeiro.

Depois da entrega de 5 ULCVs – Ultra Large Container Vessels (Ever Goods, Ever Golden, Ever Genius, Ever Given e Ever Gifted), esta foi a vez do Ever Grade entrar ao serviço da EVERGREEN, o sexto de onze. A entrega destes navios “megamax” de 20.388 TEU, começou em março de 2018 e está prevista estar concluída em setembro deste ano.

 _

Características dos Novos ULCV

EVER GOLDEN
EVER GOLDEN

Tal como os seus irmãos, este navio G-Class é equipado com um motor MAN-B&W G95ME, com 11 cilindros, debitando cerca de 59.250 kW. Consequentemente este motor permite-lhe atingir velocidades que podem chegar aos 21 nós.

No que concerne às dimensões. Os ULCVs medem cerca de 400 metros de comprimento, com cerca de 59 metros de boca. Isto leva a que tenha uma capacidade que pode chegar aos 21 000 TEU. Estes gigantes do mar foram desenhados com um maior calado por forma a permitir maior robustez ao casco. Isto leva, assim, a que se consiga aumentar a segurança na navegação.

 _

O Ever Grade é Mais Uma Aposta na Europa

O Ever Grade incorporou a Ocean Alliance com o serviço Asia – Europa na rota “NEU6”. Na EVERGREEN este serviço corresponde ao “CEM” China – Europa – Mediterrâneo.

Os navios da EVERGREEN que operavam esta rota tinham capacidade de cerca de 14.000TEU. Esta frota que está a ser substituída por navios de 20.000TEU de capacidade. O primeiro navio “megamax” a ser integrado no “CEM” foi o Ever Golden, que veio da “NEU3” no início dezembro passado.

Este é, portanto, um aumento de capacidade de transporte alocado ao mercado Europeu. Assim a Ocean Alliance reconhece valor à Europa, assim como o seu potencial de crescimento.

_

Este é um programa de aumento e rejuvenescimento de frota da EVERGREEN. Com isto vai ser possível aumentar a qualidade do serviço que nós, Green Ibérica, fornecemos aos nossos clientes. Vamos ainda poder cumprir uma das premissas identitárias mais importantes da EVERGREEN, reduzindo de forma significativa, as emissões de gases poluentes para a atmosfera.

Importações, Importar para Portugal

Como Importar para Portugal – Linhas Orientadoras

Exportar de e Importar para Portugal, podem ser as únicas soluções para ter uma empresa com um modelo económico viável, num mercado de dimensão limitada como é o português.

Hoje em dia, se se quer ter uma empresa economicamente sustentável, principalmente num mercado de dimensão limitada como é o nosso, as fronteiras podem – devem – ser meras referências geográficas, sem uma importância determinante na delimitação do espaço em que ocorre o negócio. É nesse contexto que surgem as Importações e Exportações de produtos – ou transações intracomunitária de bens, quando se tratam de negociações de mercadorias dentro da União Europeia, e que são fruto dos acordos estabelecidos.

Importar para Portugal em segurança não é nada de demasiado complexo. No entanto é um processo que pode abarcar alguns riscos. É importante que se identifiquem esses riscos por forma a estar preparado para eles, para que assim, se torne possível mitigá-los. Há que ter atenção para que tudo decorra sem incidentes.

Com este artigo, a Green Ibérica pretende fazer uma pequena abordagem ao tema e dar algumas dicas que o podem ajudar a entrar nesse processo.

 

Planeamento

Em primeiro lugar, o planeamento é fundamental. É verdade que, como bons portugueses, temos sempre muito presente em nós a arte de “desenrascar”. Mas talvez seja melhor guardar esta qualidade cultural para outros campos. É preciso desenvolver um bom plano de negócio por forma a saber/definir o caminho estratégico a seguir. Pesquise, calcule, disponibilize recursos e descreva pormenorizadamente todas as ações necessárias.

 

Certifique-se que Está Legalmente Apto a Importar para Portugal

Depois de planear e de saber exatamente o caminho a seguir, certifique-se que a sua empresa responde a todos os requisitos legais que lhe permitam efetuar este tipo de transações. Então assegure-se que o NIPC da empresa está regular e que inclui a atividade de importação e exportação no objeto social.

 

Selecione os Seus Fornecedores de Importação

É um dos pontos mais importantes para o sucesso do negócio. Para se assegurar da fiabilidade dos potenciais fornecedores, e para importar para Portugal, visite feiras, conferências, congressos, etc. onde estes possam estar presentes. O simples facto de marcarem presença neste tipo de eventos acaba por transmitir confiança. Isto para além do contacto pessoal com a empresa, com os seus representantes e com os seus produtos/serviços, o que pode ajudar a aferir se é o que o seu negócio precisa. Para além disso, procurar por referências nunca será de descorar. Tente saber um pouco mais de e para onde a empresa comercializa, quem são os seus clientes. Se possível, chegue ao contacto com esses clientes para ouvir a sua experiência.

Existem diversos websites que o podem ajudar na pesquisa dos melhores eventos direcionados para o que pretende. O n’Feiras e o 10times são dois exemplos, mas há muitos mais, para isso basta pesquisar um pouco pela área que lhe interessar.

 

Visite a Fábrica do Fornecedor

Não há forma melhor de conhecer o seu fornecedor e o seu produto, do que avaliar in loco. Caso tenha essa possibilidade, verifique o processo de produção. Isto inclui condições da maquinaria, certificados, normas de segurança e tudo mais que sirva para atestar a seriedade e qualidade do seu fornecedor.

 

Elabore uma Folha de Custos

Nem sempre é fácil perceber imediatamente o quanto irá pagar, isto porque o valor do produto é apenas um dos custos que poderá vir a ter. Informar-se acerca dos impostos, taxas, seguros e outros montantes que envolvem a transação de importar para Portugal, vai ajudá-lo na negociação e a determinar a viabilidade da mesma.

Assim, antes de fechar negócio, tenha em consideração todos os potenciais custos, que poderão incluir:

  • Transporte Internacional;
  • Seguro de Transporte Internacional;
  • Imposto de Importação;
  • Taxas Aduaneiras;
  • IVA;
  • Despesas Bancárias;
  • Taxas Portuárias;
  • Taxas de Armazenamento;
  • Despachante Aduaneiro;
  • Transporte interno…

 

Negoceie os Incoterms

Na altura da negociação é possível que o fornecedor lhe ofereça três intercoms[1] relacionados com o transporte da mercadoria. As diferentes opções terão diferentes características e, portanto, diferentes custos:

  • FOB – Free On Board (ou FCA – Free CArrier, utilizado em carga aérea) – Abrange os custos de transporte das mercadorias desde a fábrica (ou outro local de envio) até ao porto de embarque da carga. A partir daí os custos ficam a cargo do comprador.

  • CFR – Cost and FReight – O vendedor fica responsável pelo transporte marítimo até ao porto de destino. O comprador que fica responsável pelos transportes complementares.

  • DAP – Delivery At Place – É o serviço o que abrange todos os transportes da mercadoria, desde o local de origem até ao local de destino.

Escolher o melhor incoterm vai depender muito do conhecimento e dos contactos que tem, principalmente no local de origem do produto que adquire.

 

Documentos Necessários para Importar para Portugal

Depois de se efetuar o embarque, o exportador envia diversos documentos que permitirão que o importador liberte as mercadorias na alfândega. Tenha bastante atenção aos detalhes nos documentos, já que pequenas imprecisões podem gerar grandes problemas, no limite pode ir até à apreensão dos bens. Procurar um parceiro experiente pode ser importante quando não tem esses conhecimentos do seu lado.

Existem leis globais e portanto documentação que é obrigatória, sejam quais forem os países de origem e de destino das mercadorias. Para além dessas leis globais, existem também as legislações locais que devem ser estudadas, para que não venha a ter surpresas desagradáveis.

Alguns documentos mais importantes à importação:

  • Bill of Lading (ou B/L) – É o documento mais importante para o transporte marítimo. É emitido pelo Armador (ou pelo agente de transporte, como é o caso da Green Ibérica) para terem conhecimentos sobre um carregamento de mercadorias. O B/L serve três propósitos principais: é o contrato de transporte entre o shipper e o armador; serve de recibo de entrega da mercadoria; e é o título de posse da mercadoria, que normalmente pode ser negociado/transferido.

  • AirWay Bill – Assim como o B/L no transporte marítimo, o AirWay Bill é o documento mais importante no transporte aéreo de carga que, ao contrário deste, nunca pode ser negociável. As principais funções do AirWay Bill são de: Contrato de transporte; comprovativo de receção dos bens; carta de porte; certificado de seguro; declaração aduaneira…

  • Fatura Comercial – Emitida pelo fornecedor, a fatura comercial contém os dados da empresa e da carga. Em muitos países é usada para determinar o valor da mercadoria na avaliação das taxas alfandegárias.

  • Packing List – É um documento complementar à fatura comercial, que tem como objetivo descrever o conteúdo da remessa. Identifica volumes, dimensões, pesos, referências, etc., de cada embalagem. Resumidamente o Packing List incorpora caixas e/ou pacotes transportados enquanto a fatura comercial abrange cada item comercializado.

  • Certificado de Origem – Assim como o nome indica, comprova a origem da carga. Existem diversos Certificados de Origem, o mais comum é o Form A. Este formulário, para além de declarar a origem dos produtos, possibilita alcançar benefícios fiscais para determinadas mercadorias.

  • Certificado de Seguro – É uma forma de garantir ao consignatário que, durante o transporte, as possíveis perdas e/ou danos ocorridos nas suas mercadorias, estão cobertos.

 

Conclusão

Aqui demos apenas algumas dicas que podem ser úteis caso esteja a pensar internacionalizar o seu negócio. A internacionalização, e exportar ou importar para Portugal, pode ser a única hipótese de conseguir gerir uma empresa dinâmica e consistente. Ainda assim talvez seja bom não se atirar de cabeça. Trilhe um percurso sólido e com atenção à resposta que vai obtendo do mercado. Não se esqueça do mais importante, rodeie-se de pessoas/empresas seguras e com mais experiência neste campo. Recolha o máximo de informação possível.

Trabalhe, tenha confiança e acredite. A sua resiliência será recompensada!

 

Green Ibérica

 

 

[1] Incoterms são os termos internacionais utilizados no comércio, que determinam os deveres e obrigações do exportador e do importador. Saiba tudo acerca dos Incoterms no site da Câmara do Comércio Internacional (ICC).
Combate ao transporte marítimo de produtos contrafeitos - Green Ibérica Portugal

Marcas e Operadores Marítimos Juntam-se para Combater o Transporte de Produtos Contrafeitos

Por forma reduzir a comercialização de produtos contrafeitos, grandes marcas mundiais juntaram-se a companhias de transporte marítimo. Esse esforço conjunto levou à elaboração de um documento que tem como objetivo prevenir o transporte por via marítima, desses produtos.

 

Luta aos Produtos Contrafeitos

Container Vessel - Green Ibérica Portugal

A contrafação tem vindo a conhecer um acentuado crescimento, levando a percas significativas nos negócios e na economia mundial. Isto coloca em causa o investimento em criatividade e inovação, prejudicando o reconhecimento de qualidade das marcas, podendo trazer problemas relacionados com a saúde e a segurança do consumidor.

É nesse contexto que a Câmara de Comércio Internacional (ICC – International Chamber of Commerce) lançou a BASCAP (Business Action to Stop Counterfeiting and Piracy) em 2015. O objetivo primeiro da BASCAP prende-se em fazer a ligação e mobilizar negócios em diferentes indústrias, setores e países na luta à contrafação e à pirataria. É intuito desta plataforma fazer chegar os problemas das empresas neste mercado, a governos, à população e aos media. Com a maior exposição torna-se possível aumentar a consciência da existência destas atividades e dos perigos económicos e sociais delas inerentes.

 

Resultados do Trabalho da BASCAP

Foi o trabalho da BASCAP, ao juntar Marcas, Armadores e Despachantes, que permitiu assinar uma Declaração de Intenções que prevenisse o transporte desses bens ilegais. A assinatura dessa declaração ocorreu em novembro de 2016 e desde então trabalharam em conjunto na elaboração de linhas orientadoras, que permitam atacar os produtos contrafeitos ainda na cadeia de abastecimento.

 

“Know Your Customer, Due Diligence and Maritime Supply Chain Integrity”

Foi esse esforço conjunto que tornou possível dar origem ao documento intitulado “Know Your Customer, Due Diligence and Maritime Supply Chain Integrity”. Aqui lançam-se as melhores práticas a tomar pela indústria marítima, que leve a uma redução do transporte dos produtos contrafeitos por esta via. Com este acordo espera-se atingir uma redução através de uma lista de controlo, que ajuda a verificar clientes e redes de abastecimento desta indústria.

Com base lançada em março último, esta nova atualização evolui no sentido de assegurar as recomendações de auditorias para clientes já existentes. Para além disso, ambiciona melhorar a relação entre marcas e operadores marítimos por via de um conjunto de medidas de cariz voluntário.

O documento foi lançado dia 26 de setembro na conferência “International Law Enforcement Intellectual Property Crime” no Dubai. Uma organização da INTERPOL e da Policia do Dubai.

Pode encontrar o documento AQUI.